Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


quarta-feira, 11 de junho de 2008

kizzy ysatis
.
Cinqüenta anos de solidão
.
O livro velho me contava Dickens e, sem querer, rasguei-lhe um centímetro de uma folha ao puxar, levianamente, uma linha da costura de sua encadernação. Afligi-me de culpa. Ora, pois tinha uma raridade em mãos que exigia carinho; mas o livro amarelo de páginas secas e quebradiças me confortou ao que disse, como o velho solitário quem era, disse-me que gostava de ser tocado de novo. Aprazia-lhe ter as páginas viradas por dedos quentes e, que feliz ele era por ser alisado por meus olhos negros. Disse-me, o tomo de David Copperfield, que preferia mil vezes desmanchar-se comigo a ter de se rachar aos pouquinhos na fria estante. Era seco porque às lágrimas leitoras já não lhe umedeciam as ternas folhas havia cinqüenta anos, nem mesmo o orvalho das gargalhadas a lhe coçar as letras. Por Deus! disse-lhe eu, Vem cá que sou todo seu.
Assim nos amamos durante as noites daquela semana. Ficamos amigos, e ri e chorei com ele até que voltou para estante, por hora satisfeito e refeito e à espera de um novo amante.
.
Kizzy Ysatis
São Paulo, 09 de junho de 2008

5 comentários:

Anônimo disse...

Livros sempre estão a nos esperar, sejam eles velhos, novos, usados... Livro possui alma e quem duvida não merece lê-los!
Beijos carinhosos amoreco
Lizy Tequila

Ale seckler disse...

Kizzy
agradeço a ti por nos agraciar com tuas palavras.
sou teu grande fã.

Claudio Brites disse...

elogiar seria pleonasmo, vou fazer diferente desafiar.
post algo inspirado no filme do Wild e no encontro com dona Lygia.
é isso

Anônimo disse...

"El recuerdo que deja un libro es más importante que el libro mismo"
(lo dijo Gustavo Adolfo Bécquer, el poeta romántico de Sevilla que se parece tanto a ti).
MARTA SEREIA

Kizzy Ysatis disse...

Beijos carinhosos a você também, moreco doce.
.....

Ale, sou eu quem agradece sua visita.

....

Zed
Estou postando uma crônica onde recordo meu encontro com Wilde, o paralelo com meus livros, e nesse devaneio registro minahs impressões acerca do filme. O encontro com Lygia foi maravilhoso, a alta dama da literatura ensino-me muito num para de horas. Deixo para relatar este feliz encontro num futuro não muito distante.

bjs.

....

Maravilhoso Gustavo Adolfo Bécquer, bondad tuya dicir que comigo el se parece.

Besos marinos a ti sirena de Galicia e Zaragoza.