Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


sexta-feira, 12 de dezembro de 2008


Vi um olho no pôr-do-sol.
O olho me disse que Maria viria da feira trazendo o peixe.
Din-dong! Tocou a campainha, era meu avô falecido.
Corre, meu neto!
Corri mas o assassino me pegou na esquina.
Me solta! Gritei.
Minha filha corria perigo.
Meus vizinhos... A rua inteira... Ninguém ajudava.
Queriam saber o desfecho.
O tempo urgia.
E Maria ainda não tinha chegado com o peixe.
Queriam minha filha.
Escute! Se tocar nela, se cair um fio de cabelo, uma gota de sangue...
Você despertará um mal adormecido.
Todos os cães uivarão.
As aves cairão mortas.
E uma tempestade de três dias encherá as ruas de morte.
Ele tremeu e partiu amedrontado.
Cansei daquela rua, na mesma hora fiz as malas e me mandei.
Maria jantou o peixe na companhia do olho do pôr-do-sol e meu avô falecido.
Mas nenhum vizinho foi convidado.

Maria e o peixe
Kizzy Ysatis

Escritores de Segunda 01/12/2008

5 comentários:

Jéssica Ketchup disse...

Muito bom texto, quando eu for gente grande quero escrever que nem você rs. Lembra textos surrealistas, amo os surrealistas.
A ilustração também é muito legal...
Bjs!

Marcia Olivieri disse...

Nada como um bom arrepio!!!Muito bom!!!

Bjs!!!

Marcia Olivieri disse...

Aproveito também para te econvidar de um Meme!!!Bjs!!!

http://floraletras.blogspot.com/2008/12/meme-dos-8-desejos-e-8-amigos.html

Anônimo disse...

Algo surreal. Mas a cada narrativa uma imagem surgia em minha mente. A ilusão fascina!
Beijos amoreco
by Lizy Tequila

Kizzy Ysatis disse...

Jéssica, Marcia e Lizy

Muito obrigado pelas postagens