Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


sábado, 1 de agosto de 2009

o dragão de éter
art by octavio cariello after leandro bergamo

raphael draccon: “kizzy, querido, quero fazer meu conto diferente, todo em diálogo”.

kizzy ysatis: “como assim, raphael? como você vai situar as personagens, ou narrar a história, os gestos?

raphael draccon: “tudo através da fala”

senhoras e senhores, qual não foi minha surpresa ao ler o conto boas vidas de raphael draccon, a iluminar as páginas do território v? as personagens não se movem, e são apenas duas, mas as palavras... as palavras são as palavras.
a palavra é amor; a palavra é guerra; a palavra é tragédia; a palavra é profecia, comoção, esperança.

autor convidado: raphel draccon
conto: boas vidas

Dois personagens, um mortal (que não se sabe se é homem ou mulher) e um imortal, travam diálogo enquanto esperam o amanhecer.

Leia um trecho do conto:

– Vampiros não têm moral.
– Então não haveria punição?
– Sim, a punição existe.
– De que forma? Com uma estaca?
– Não, com a consciência que permeia o ato.
– Pensei que consciência fosse uma característica humana.
– Por isso vampiros são tão fascinantes.

– E de onde viria a loucura de não acreditar que vivemos apenas uma vez?
– Na possibilidade da perda.
– Da possibilidade de se perder a vida?
– Ou de não perdê-la jamais.


um conto desenhado apenas em diálogos, e, nesses diálogos, séculos de vida.

Raphael Draccon é roteirista profissional e autor de literatura fantástica contemporânea,ficção de suspense e romances sobrenaturais. Nascido no Rio de Janeiro em 1981, iniciou a estrada profissional como digitador de um jornal de bairro e como professor de artes marciais. Estreou na literatura com a série fantástica Dragões de Éter (Planeta, 2007). Hoje, é o autor mais jovem a assinar com as duas maiores holdings editoriais da América Latina, e roteirista premiado pela American Screenwriter Association. Gosta de enfrentar outros faixas-pretas em ringues de luta, e nunca esqueceu que seu grão-mestre na vida real, Mestre Kim, já enfrentou e matou o lorde Drácula em uma HQ antiga e esquecida no tempo, que reencontrou milagrosamente em um sebo frequentado por pessoas de preto que, estranhamente, usavam óculos escuros à noite.
http://www.raphaeldraccon.com/

faltam 12 dias para o dia 13 e 20 motivos para você aparecer.

4 comentários:

Conceição disse...

Adorei, faz com que a gente deseje também estar questionando esse vampiro, sou muito fã do Draccon.
beijo carinhoso Kizzy!

Kizzy Ysatis disse...

Olá, Conce!

Aff, esse conto é divino. Chorei ao ler essa maravilha do Draccon. Virei fã dele no ato!

Leandro Doorneles disse...

Parabéns Kizzy.

O blog e magnifico e desperta a vontade do conhecimento em busca de novos contos.


E claro não deixaria de dizer o quanto os vampiros são realmente de uma origem fascinante, e também acrescentaria. A outra face da elegância.

Abraços

Kizzy Ysatis disse...

Obrigado, Leandro.

Compareça sempre.
Leia o Território V, já está à venda. Tenho certeza de que irá gostar como eu gostei.

abraços