Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Eu gosto quando está calor e venta.
Eu gosto quando está frio e não venta.
Eu gosto daquele sol de manhãzinha, que esquenta.
Gosto de ver o pôr do sol, olhar as nuvens, as árvores
E os vaga lumes.

Kizzy Ysatis
Fumando na sacada, na manhã de 11 de novembro de 2009

9 comentários:

Jéssica Ketchup disse...

Manhã diferente por conta do blackout...

Tomás disse...

Kizzy, acabei de terminar de ler o Clube dos Imortais, e achei fabuloso. Tu abordou vampirismo num ótica que eu acho fascinante, a ótica do belo ocultando o monstro. Usou do charme, da eloquência, enfim, de todas as características que Hollywood quase sempre desprezava nos amaldiçoados. Eu também discorro sobre esse tema em alguns contos próprios, se puderes ver, basta clicar no link em meu nome. Ficaria grato de uma opinião de alguém como você. Sei que muitos devem lhe pedir isso, mas para ouvir alguma crítica tua, vale até a mediocridade da vala comum. Comprei teu livro final de semana passado, creio ter dado muita sorte, pelo que tenho lido sobre a escassez deles no mercado.

Se puder ler, agradeço. Passei-lhe um conto que muito tem a ver com a história que tu narra, a de um personagem meu que é ultra-romântico, poeta, e amaldiçoado. Muito assemelhado, em alguns pontos, a Luar.

Espero realmente que leias. Bom, como já me prolonguei, e talvez tu nem chegues a ler até o final deste comentário devido a ser enfadonho e deveras extenso. Agradeço por sua compreenção até o momento.

Adeus, e mais uma vez parabéns pelo grande escrito que és.

Nathalia disse...

Prefiro quando esta frio e não venta...

Oi Kizzy, nós andamos com saudades suas, aguardo ansiosa por novos lançamentos.

Um beijo e um Abraço apertado.
Nathalia

Raphael O Lord disse...

Simples e mortal, mas verdadeiro e bom de se apreciar!

Na sacada de manhã, muito bom!

Bondgirlpatthy 007 disse...

Kizzy adorei, mto sensível seu poema. E tb serve p/ refletir q o q vale mesmo são as pequenas coisas. Só cuidado c/ a saúde pq fumar não faz bem. Bjs

Simone disse...

Abençoados os que puros de visão porque deles será o mundo exterior, interior e fictício. Ainda estou aguardando desesperadamente a sua confirmação que vai estar no lançamento de Metamorfose. Te amo. Simone Anton.

Nazarethe Fonseca disse...

Kizzy gostei muito, dá pra sentir o sol e o vento no rosto, enquanto você fuma tranquilamente. Este vício intelectual tem seu charme maldito. Belo, muito belo Pássaro negro.
Beijos mordidos.

Laíz disse...

Assim como o pôr do sol, bom também é poder admirar as estrelas,imortais, que mesmo tão longe, estão perto, e no imenso vácuo conseguem dar um brilho à mais.

Martarella Sirena disse...

É um poema muito zen, a filosofia e a beleça das pequenas coisinhas. Vc tem que ler os livros taoistas de Lao Tse, penso que vc gostaria disso muito... Beijinhos, lindo.