Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


terça-feira, 5 de outubro de 2010


Aqueles que Habitam o Paralelo Noturno


III - Fernando acorda no castelo do Conde Dracula

Num clic, Fernando expõe a face lívida à luz mortiça, amarelada e quente do abajur doente ao acendê-lo. Salta da cama e, apressado, dirige-se ao espesso cortinado para num ímpeto movê-lo. Na ala oeste da casa grande, vê-se o janelão se abrir para o quarto crescente suspenso na estrutura da noite. Da altura, Fernando contempla a vastidão silenciosa e fasta da antiga propriedade do vampiro Luar. Ele sorri.

Na cozinha tinha pão e um copo de leite azedo sobre a mesa. Na sala, a lareira estava curiosamente acesa embora não fizesse frio. Fausto apreciava o fogo a boa distância, tombado na poltrona. No rosto magnífico do caseiro repousava a incerteza. Fernando não via seu mentor há uma semana e resolveu se manifestar:

— Cara, que bom que voltou. Já estava me sentindo solitário. Este lugar parece o castelo do Drácula. Ah! Sabia que consegui sentir seu cheiro lá de cima? Acho que com a aproximação da Lua cheia, meu olfato aumenta, né?....

Como Fausto permaneceu calado, Fernando tomou coragem para perguntar:

— Aconteceu alguma coisa?

— A cidade está infestada de vampiros.

— Suponho que possa farejá-los.

— Não é tão simples, guri. Cada ser tem seu próprio aroma, como uma digital. Precisaria conhecer o cheiro de cada vampiro para reconhecê-lo. Desde que retornou do além-túmulo, Montserrat não se apresentou para mim. Isso tem anos. E até agora não descobri seu cheiro. Ele é esperto. Está se guardando.

— O que ele espera?

— A hora certa. Mas eles virão em breve. O ataque é iminente.

— Como você sabe que eles estão por aí?

— Pelos sinais, guri; a tempestade, o fogo, o leite e outras coisas. Como em São Paulo chove muito, descartamos a tempestade.

— Mas não chove hoje.

— Não importa. Temporal é sinal de chegada, não de estadia. E só os poderosos chegam com a chuva. Sobra-nos o fogo e o leite.

— O fogo e o leite?

— O fogo fica azul e o leite azeda.

— O leite estava azedo.

— Eu sei, por isso acendi a lareira.

— Mas o fogo está amarelo.

— É o que você pensa, ele se transformou duas vezes desde que anoiteceu. A chama azula e depois de alguns instantes volta ao normal. Mantenho a lareira acesa como forma de detectar vampiros. Um alarme.

— Belo truque. Você sabe das coisas. Deve ter aprendido com seu mestre vampiro.

— Aprendi com uma bruxa.

— Uma bruxa? Conheceu uma bruxa de verdade?

— Minha mãe.

— Sua mãe lhe apresentou uma bruxa?

— Não. Minha mãe era a bruxa.

— Ah.

Fernando admirou-se, mas sabia que ainda tinha muito que ver e ouvir.

— Então os vampiros estão por perto!?

Fausto suspirou antes de responder:

— Sim, meu jovem, estão.

— É isso que lhe preocupa?

— Incomoda bastante, mas é inevitável.

— Então essas janelas não deviam estar abertas. Vou fechá-las.

Quando o aprendiz fechava inadvertidamente a segunda das várias janelas do salão, o senhor dos lobos o interrompeu:

— Fernando. Deixe-as. É preciso dissipar o calor do fogo.

— Não está quente. Fausto. Somos só nós dois, cara. Eles podem nos atacar e seus amigos ainda não chegaram.

— Não seja tolo. Os vampiros não entrarão aqui sem serem convidados. Nunca assistiu a filmes de vampiro?

— Não estou entendendo, você disse que o ataque era iminente.

— Exato. E eles darão um jeito de entrar aqui, valendo-se de sortilégios.

Fernando espantou-se e olhou o silêncio antes de gaguejar:

— N-Na boa, não é melhor fechar as janelas?

— Não, Fernando, sossegue. Tenho plena convicção de que não atacarão esta noite. Como eu disse, atacarão na hora certa.

— Tudo bem. E quando será a hora certa?

— Na Páscoa, tenho certeza.



[Continua na próxima terça]

LEÃO NEGRO

A busca pelo vampiro Luar


Um romance de KIZZY YSATIS

11 comentários:

Evan disse...

Pelo amor de Azrael!
Kizzy realmente pude sentir a nostalgia que é inerente ao nosso tão estimado Fausto, ele está mais sombrio mas mantém em si a calidez humana que lhe competi.
Pude sentir a fragrância de Montserrat almiscarada e ébria que o mais novo senhor da noite exala... assim como o conforto e amplidão da casa de Luar, realmente você tem refinado cada dia mais sua escrita, meus parabéns! Estou ansioso pra continuar lendo.
Até breve...

Bárbara da Cunha... disse...

Nossa me deu até arrepios essa cena do Fausto falando dos sinais (e como ele aprendeu a detectá-los)!

Foi uma dessas descrições que automáticamente me trazem a imagem à mente, muito bom!

E aproveitando o ensejo, gostaria de perguntar uma coisa sobre a qual estou curiosa já ha algum tempo:

Porque os vampiros têm controle sobre as tempestades? Essa foi uma das caracteristicas que você criou para os seus proprios vampiros, ou ela é proveniente de lendas já existentes?

Ficarei no aguardo da proxima terça!

Tudo de bom,

Bárbara / CelticBotan

Rose... disse...

O que, My beloved writer, reserva para louvável guerreiro Lycan? O livro está ficando cada vez mais emocionante e intrigante. Obrigada por escrevê-lo...

Um beijo soprado no sereno...

Thiago de Rovere ¥ disse...

A chuva...sempre a chuva e o fogo e o leite...
Juro que por um momento quando Fausto falou de bruxas, pensei que ele ia citar a Elaine. Esqueci completamente que a mãe dele era uma bruxa tambem.
Mas foi uma parte bem interessante.
Fernando por enquanto me parece estar reduzido a um papel de mero curioso, para só então, como um lobo que se transforma, pular como uma figura importantissima na história.
Mas creio, vamos ter de esperar a Pascoa. Sempre a pascoa.

.Tsuki. disse...

O mais engraçado que vc sempre coloca algo novo na terça-feira...merecia até um capitulo especial para este dia da semana no livro...nunca fiquei tão animadas nas terças como utimamente...suhaushahs' :)

Kizzy Ysatis disse...

Evan
Obrigado pela lisonja, terça tem mais.

.................

Bárbara

É legal quando a memória ajuda o leitor que já conhece a personagem, ainda mais quando há uma bagagem de fatos ocorridos lá longe.

Não criei o lance da tempestade. Nesse caso me inspirei em Bram Stoker. Na verdade, é o doutor Van Helsing que diz no livro que o vampiro tem a força de 10 homens, poder sobre os animais e tempestades.
Quando Dracula chegou a Londres no navio Demeter, choveu um dilúvio. Quando Luar surgiu na minha vida, o mundo estava se acabando (como dizia minha mãe em temporais). Tomei aquela chuva que Luciano toma no começo do Clube. Encharcado, parei num boteco, tomei um conhaque pra esquentar e puxei do bolso papel e caneta que havia protegido em plástico para esse propósito. A primeira coisa que me ocorreu foi: "Luar chegou. Chove muito, como em Dracula. Então é verdade que a chuva antecipa a chegada do vampiro". Nas minhas primeiras 5 noites de autógrafos do Clube dos Imortais, choveu fortemente. Lembro que fãs tinham até criado um tópico para discutir esse “fenômeno” na comunidade do livro. Numa dessas vezes, na livraria Nobel do Shopping Tatuapé, houve um black-out rápido. Muita gente que já me esperava dentro da livraria brincou: "Cruzes, isso é coisa do Kizzy". Aí a luz retornou e todos me viram parado na porta. Foi uma coincidência curiosa e oportuna. Mamães desconfiaram de mim, eu desconfiei de Luar. "E se esse gajo existe mesmo e está me usando?", pensei meio assustado e disfarçando.

Tudo de bom pra você também
..............................
Rose

Não posso dizer o que o futuro reserva ao fiel Fausto, mas sei que uma nuvem de tragédia se avizinha.

Beijos soprados do sereno
.............................

Thiago

Concordo com você, ele estava muito curioso, ele só fazia perguntas.  Portanto dei um tapa no texto e lancei mais personalidade ao menino.
Thanks
Beijão
................................

Jhaniny

Eu fico animado nas terças para ver vocês aqui. Estou me esforçando para não faltar texto.

beijo

Bárbara da Cunha disse...

NOSSA!
Adorei a explicação e os seus causos com tempestades!

Vejo que não sou a única a passar por ''coincidências'' como essas, envolvendo personagens originais...

Bárbara / CelticBotan

iarashi disse...

"Temporal é sinal de chegada, não de estadia. E só os poderosos chegam com a chuva."

e chove muito em sao paulo agora.haha

aiiii que saudade das sibilas..e do Luar.

e até do fausto, que tá mais sombrio.


nao vejo a hora de ler mais!

parabens kizzy!

beijo

kizzy disse...

Bárbara

Porque não compartilha conosco sua história?
................

Iarashi

Seja bem-vinda, obrigado pela visita e volte todas as terças, viu?

beijo

Evan disse...

Não tem presente de dias das crianças melhor que os capitulos postados pelo Kizzy! aeee... nunca gostei tanto das terças feira!

.Jhaniny. disse...

Estaremos sempre aqui Kizzy... *-*
e mesmo se eu não conseguir ler na terça,na quarta venho correndo aqui ler.