Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


quinta-feira, 6 de janeiro de 2011


Aqueles que habitam o Paralelo Noturno


X - Marta recebe uma segunda visita.

Um Claudio meio frustrado deixa o edifício e desce a avenida pedalando.

Na cozinha de seu apartamento, Marta seca a louça e então para, uma brisa a surpreende. Ela fecha os olhos e inspira vagarosamente. Marta havia se acostumado com o perfume da orquídea, que precede a presença mágica e invisível de uma antepassada sua em especial. O perfume mistura-se ao cheiro de cigarro e livros velhos.

Que dia, pensou. As coisas estavam acontecendo tão rápido. Era a segunda visita que recebia naquele dia. Mais que depressa, abandonou os afazeres triviais, enxugou a mão e virou-se. Estava só. Olhou ao redor e começou a caminhar devagar e sem medo, apenas curiosa. Concentrou-se para ouvir alguma voz, procurou por algum sinal. Nada. Uma mariposa entrou pela vidraça tão veloz que a pegou de surpresa. Um pequeno susto. O inseto noturno rodopiou três vezes antes de se dirigir a sala. Ela o acompanhou. Olhou direto na poltrona de couro. A sala estava vazia, nada de mariposa. Onde estava? A janela da sala continuava fechada. O ruído de um isqueiro a fez se virar num reflexo. Uma senhora elegantemente trajada de preto, sentada na velhíssima poltrona, tragava seu cigarro. Marta arrepiou-se inteira, era a primeira vez que a via fora de seus sonhos. Sabia quem era. Isso a emocionou a ponto de deixar os olhos rasos d’água. A senhora a olhou com benevolência e sorriu. Sua voz era firme e sussurrante:

— Senta, minha filha. Precisamos conversar.



[Continua na terça]
LEÃO NEGRO
A busca pelo vampiro Luar
Um romance de KIZZY YSATIS

8 comentários:

Evan disse...

É impressionante como podemos viver juntos aos personagens seus momentos mais marcantes, confesso minha predileção pelas Sibilas, e dentro todos os momentos q acompanhei e acompanho, sem sombra de dúvida esse foi um dos q mais me emocionou, arrisco me a dizer que rever Elaine é algo q me traz saudosas lembranças!

Kizzy Ysatis disse...

Eita, Evan! Que maravilhoso isso, hein. Você é foda (no bom sentido, rs). Está vendo? o autor não precisa nomear ninguém; em nenhum momento precisei escrever que era a Elaine, mesmo assim você sabia. Quem é fã sabe, e isso me emociona sempre.

Obrigado

Anônimo disse...

Olá Kizzy, sou nova aqui no blog e estou maravilhada com a sua escrita.
Infelizmente ainda não pude ler todos os seus livros, o único que li foi o Diário da Síbila Rubra, mas confesso estar entusiasmada para ler a obra completa. Sou apaixonada pela literatura romântica, especialmente Álvares de Azevedo e estou adorando a maneira como você se refere a literatura no livro.
Desde já sua fã
Jessika

Rose... disse...

Adorei a foto, Madame Monte Negro e uma excelente referencia de imagem para Elaine, perfeito.
Curiosa para ler o que vem depois....

Um beijo soprado no sereno...

Az.) disse...

Estou lendo Diário da Sibila Rubra e estou adorando. Eu vi sua entrevista no Jô e achei a referência ao livro na internet, não resisti e comprei. Achei muito importante a forma como você deixa claro os motivos de esses seres serem como são e viverem como vivem. Agora que estou ao final, não vejo a hora de ler O Clube dos Imortais. Meio fora de ordem, ne?! Esse livro veio a mim bem a tempo, uma vez que já estava cansada das histórias sobre vampiros e bruxas sem sentido e cheias de Hollywood. Enfim, parabéns por sua obra! ganhou mais uma fã. ;*

.Jhaniny. disse...

EEEEEE...vc voltou,minhas terças fazem sentido agora *---*
Kizzy,tenho uma pergunta,no Clube dos imortais antes de marta descobrir tudo sobre ela,ela amava Luciano e depois de tudo,luciano não foi mas destacado...vc ira em algum momento falar dele nesse novo livro?

Srta. Strega disse...

Kizzy, como sempre nunca faltam surpresas por aqui. Cada capítulo que leio fico mais maravilhada!
Incrível!!!

Estou muito ansiosa para ler o restante!!!

Bárbara da Cunha disse...

ELAINE!
Uma das minhas personagens favoritas! É ótimo "revê-la" assim, tão inesperadamente...
Quase me senti ali no lugar da Marta e estou curiosa agora para saber a que devemos tão nobre presença =D

Um abraço!