Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


quarta-feira, 17 de março de 2010


A epiã cantava a memória de outrora. O traje, a maquiagem, a anatomia da face... A imagem num todo: outro tempo. Baixinha mas imensa. O olhar de um azul-capela, tipo santa ou Capitu que captura. Desmantela. Tipo mar do Rio, bendito ou trapaceiro, a levar na onda o oceano inteiro; o mistério inaudito; as estrelas do céu e o céu mineiro.


Kizzy Ysatis

17/3/2010

4 comentários:

Jessica Ketchup disse...

Adorei o que você escreve, mas fato é que me prendi na imagem, me lembrou quando vi "bonequinha de luxo" qdo eu era pequena junto com a minha avó.
:)

Claudio Brites disse...

dia desses assisti bonequinha de luxo... ainda não terminei... como ela é linda! que olhos deliciosamente safadinhos e suaves... e como encarna em um personagem aproximadamente meia dúzia de tipo que conhecemos.

Claudio Brites disse...

mania moderna de ser otimista. quem disse que o pessimismo é uma forma ruim de ver o mundo? eu prefiro a tragédia, são mais honestas. grandes escritores cultivam a tragédia, afinal a literatura é uma das mães do pessimismo, pois ela pode nos trazer tudo, menos felicidade.

Nazarethe disse...

Linda e elegante como nenhuma outra conseguiu ser.Beijos mordidos passaro negro.