Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011


Aqueles que habitam o Paralelo Noturno


XIII - Uma leve bofetada

Embora Marta já estivesse familiarizada com a imprevisibilidade do sobrenatural, a aparição do espírito de sua bisavó a comoveu demais. Pensou em manter a naturalidade, enquanto o coração brigava como criança para correr ao abraço. Queria dizer o quanto estava feliz e ao mesmo tempo honrada.

Elaine apagou o cigarro num cinzeiro que antes nem existia e levantou-se, solenemente:

— Vem cá, filha. Primeiro vem me dar um abraço.

Marta foi bem depressa.

— Esperaste muito por isto, que boba que eu sou.

O abraço foi longo e Marta soluçava.

— Eu não esperava... mas já sonhei diversas vezes com a senhora; e nestes sonhos te abraçava sempre que tinha chance.

— Toda oportunidade é uma chance. Ah, mas eu sei. Eu sei — disse Elaine agora sacudindo ambas as mãos da bisneta. — Ah, minha filha, fica sabendo que era eu. Nossa, eu estava lá no teu sonho, abraçando-te. Eu te amo, filha. Eu te amo.

— Tenho tanta coisa pra dizer pra senhora.

— Quando quiser, fala. Estarei sempre te escutando.

Marta enxugou as lágrimas. Elaine carinhosamente a ajudou.

— Mas hoje tens de me ouvir.

— Sim senhora.

— Vais receber uma visita.

— Outra?

— Hu-hum.

— Hoje é o dia das visitas.

— Pois é.

— Quem vai vir?

— És tu quem vais responder.

Marta disparou, meio assustada meio curiosa:

— O teu compadre?

Elaine sacudiu a cabeça desaprovando:

— Muito apressada — respondeu um pouco severa —, e ansiosa também. Assim não acertas. Teu coração parece um formigueiro. Concentra-te!

— Desculpa.

— Vamos lá, menina! Respira.

Marta fechou os olhos. Tomou fôlego inspirando profundamente e deixando o ar sair assim num sssssss prolongado. Enfim os olhos se abriram descontentes:

— Ah... ele...

— Bom. Ao que vejo, agora já sabes.

Marta deu um passou para trás:

— Mas o que ele vem fazer aqui, me violentar também?

Sem alterar sua aparente serenidade, Elaine deu-lhe uma leve bofetada.


[Continua...]
LEÃO NEGRO
A busca pelo vampiro Luar
Um romance de KIZZY YSATIS

5 comentários:

Claudio Brites disse...

aAhahAAAAAAAAAAAAAAAAAA.... eu quero esse livro, quero folhear, quero logo!

teresa regina disse...

ai! eu não vejo a hora de anunciarem o lançamento deste livro!!!!!!

Rose... disse...

Bofetada merecida...comentário infeliz....

Um beijo soprado no sereno...

Evan disse...

Já deixei claro minha admiração pelas Sibilas alguma vez? rsrs Senão deixo aqui de novo, primeiramente quero dizer que é um bálsamo para mim ver como o assunto bruxaria/magia e tratado em seus romances Kizzy, como ela realmente é! simples e constantes em nossas vidas.
Elaine deixou de ser surreal para muito dos leitores creio eu, sabemos que Marta está acalentada e ganhara força com isso, nos resta apenas esperar pra saber o que Fausto virá tratar com ela depois e tanto tempo sem ver sua filha.

Gui disse...

Olha!

No
"sssssss",
Substituindo os outros "s" depois do primeiro, pode-se ficar:
"sibilar".

Curioso...