Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011


Aqueles que habitam o Paralelo Noturno

XVI - Quero morrer agora mesmo

— Quer dizer que sou filha dele duas vezes?

Elaine anuía com a cabeça enquanto Marta, mesmo estando ciente de tudo, questionava deliberadamente os pormenores como se não pudesse ou quisesse crer, e precisasse de confirmação para cada detalhe:

— Depois que Fausto a violentou, eu vim a nascer; e quando ele dormiu com Patrícia, a própria neta, eu reencarnei?

— Exatamente.

Mortificada, Marta desabou no sofá. Elaine tornou à poltrona e procurou ser gentil no tom, já que as palavras feriam:

— Nunca entenderemos plenamente o propósito dos espíritos, mas neste caso eu creio que tenha sido uma questão de linhagem. Eu fui adotada. O sangue das ancestrais devia retornar às sibilas; e isso irremediavelmente ocorreu por meio de Fausto, que é filho da Mãe Vermelha. O plano veio de Luar, mas quiça não tenha sido soprado por algo maior.

Marta não conseguia encarar sua mãe e bisavó. Balançava a cabeça em constante negação:

— Um plano cruel.

— Um mal necessário. Sacrifícios inauditos foram feitos por gerações de Sibilas Rubras em nome de nossa Ordem. Este não seria o primeiro.

— Pra mim é monstruoso.

— Hoje eu vejo como ritualístico e fundamental. O que importa é que tu és a única filha dele. És minha filhinha, minha bisneta, minha amada criança. Precisavas saber disso. Agora, mais do que nunca. Tens uma tarefa que lhe será custosa. Ergue a cabeça, menina.

Marta ergueu e viu que Elaine chorava. A senhora tinha nos olhos amor e piedade e sabia muito mais do que podia contar. Pousou sua mão sobre a da filha, respirou, e um perfume dulcíssimo encheu a sala de conforto e consolação.

Marta não era mais uma criança, nem moça, era mulher. Mais que isso, uma sibila rubra. Enxergou milênios de dignidade nos olhos da ancestral, pôs-se em seu lugar e sentiu, num átimo doloroso, o quão difícil era para Elaine ser portadora de más notícias.

— É uma punição?

Elaine não compreendera, sua expressão sincera denotava isso:

— Como assim?

— Se eu sou Virginia, eu me matei. Quando a senhora faleceu, Fausto procurou Virginia e a colocou a par de verdades que antes ela não sabia. Ela não suportou e se suicidou. Eu me matei, abandonando Patrícia, minha filhinha, aos seus cuidados. Significa que estou pagando por meu suicídio, é isso? Se for isso, eu quero morrer de novo. Quero morrer agora mesmo.

Agora Elaine pareceu mortificada:

— Não, minha filhinha — negou Elaine com benevolência. — Não é. Sabes muito bem que não. Lembra-te dos ensinamentos codificados nas entrelinhas do diário. Não cremos em castigo. Deixa essa farsa aos fanáticos. Ademais, sou eu que estou te dizendo. No entanto há algo que precisas aprender. Não se trata de uma lição punitiva, mas uma coisa... uma coisa que só compreenderás depois; que só diz respeito a ti, e que compreenderás sozinha.

Tomada de uma emoção incontrolável, Marta tornava a debulhar-se em lágrimas. Era sua alma lembrando-se de algo que ela mesma não sabia dizer.

— Minha mãe. Minha mãezinha querida. Me ajuda. Eu não entendo.

Elaine alisava seu rosto carinhosamente:

— Ah, mas vais entender... vais entender. Dá tempo ao tempo. Na tua vida anterior, fizeste promessas. E lá, onde estavas antes de aqui, aprendeste muitas coisas, só que não te lembras. Sabias que talvez houvesse sido tu quem tenha pedido ao plano superior para retornar e ajeitar as coisas? Por isso és tão especial. E eu tenho certeza que, antes que teu tempo aqui se extinga, terás cumprido tuas metas e honrado tuas promessas. E as promessas mais importantes são aquelas que fazemos a nós mesmos.


[Continua...]
LEÃO NEGRO
A busca pelo vampiro Luar
Um romance de KIZZY YSATIS

8 comentários:

Claudio Brites disse...

Ôh meu Deus do céu, pela Deusa! Esse diálogo deixa a gente de pelos arrepiados.

Bárbara disse...

MINHA CABEÇA EXPLODIU 0_0

E pior que eu já tinha pensado "Poxa, a Virgínia é uma personagem mega coadjuvante, só estava lá para ser a mãe da Patricia..." - LEDO ENGANO 0___0

Kizzy Ysatis disse...

Zed

Obrigado pela presença incentivadora que me norteia sempre.

beijos

............

Bárbara

Nenhuma sibila vem ao acaso, aguarde mais surpresas.
beijos

Rose... disse...

Esta vai ser a capa do livro mesmo? Muito linda , estou louca para ter ele em minhas mãos. Virgínia ter reencarnado como Marta e demais, sempre achava que oq aconteceu com Virgínia era meio injusto. Maravilhosas também as imagens dos últimos dois post...


Um beijo soprado no sereno...

Kizzy Ysatis disse...

Não, querida Rose.
Esta é uma capa meramente ilustrativa, não tenho os direitos autorais dessa imagem. No entanto, embora seja bela, naõ seria uma arte própria, feita exclusivamente para o livro.

Mas quanto a isso, podemos ficar tranquilos. Meu velho amigo, o artista gráfico Lese Pierre, disse-me ontem que já está pensando em como fará tanto a capa de Leão Negro quanto a capa da segunda edição do Clube dos Imortais [versão ampliada e extendida].

Pierre foi responsável pela capa do Diário da Sibila Rubra e do especialíssimo O Caminho do Poço das Lágrimas, de outro querido amigo, André Vianco.

Anônimo disse...

Linda foto, apesar qe não será usada! Muito bonito né? Eu te mando um e-mail há mais de um mês e o sr não se digna a responder! Hunf, tô de malzinho contigo coisa! :p
Saudades
Bjos do amoreco do sul (LT)

Kizzy Ysatis disse...

Lizyyyyyyyyyyyyyyyyyyy

anjo
.
vou caçar o e-mail do sul.

a caixa está lotada. ,... passou batido

sorry
k. [com batatas fritas]

Evan disse...

Maestria é o que sempre encontramos ao nos deleitar com as linhas tecidas com tanto afinco,senti falta de prestigia-las.

Quisera tivesse-mos todos nos uma Elaine em nossas vidas, para nos aprumar em nossa jornada.