Estou de passagem neste mundo,

Mas deixo aqui o registro de minhas palavras.

Eu sou o peregrino do tempo.


sexta-feira, 30 de novembro de 2007

RECOMENDO!

Orlando
by Virginia Woolf

Uma biografia ficcional e eugenista sobre um imortal britânico e sua jornada que vai da corte isabelina ao ano de 1928 quando, há setenta anos, Virginia escrevia o livro. Há pitadas de um humor refinado na narrativa sempre elegante e experimental de Woolf. O mérito do livro, um deles na verdade, porque são inumeráveis, está em demonstrar que o sexo (no sentido da conformação mulher-homem) é apenas mais uma das convenções humanas. Orlando nos deixa, após trezentos anos de vida, uma profunda deliberação acerca das tolices da sociedade, ao mesmo tempo em que nos enleva com divagações e pura poesia. Orlando, aos 30, num momento de plena epifania, vira mulher e passa a se chamar Lady Orlando. Contudo jamais deixa de ser quem é.

"Não se podem, por isso, considerar excessivos o tempo e a dedicação empregados em fazer com que o veículo da nossa mensagem a desfigure menos. Devemos modelar nossas palavras até se tornarem o mais fino invólucro dos nossos pensamentos. "

Virginia Woolf, Orlando

A tradução é de ninguém menos que Cecília Meireles

Eu li, amei e recomendo.
Faça bom proveito!




Há também o filme como podem ver, mas não achei no Brasil pra comprar. Só importado.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007





Clube dos Imortais




Vi hoje essa ilustre mulher na TV cultura, numa entrevista especial para o meu programa predileto Entre Linhas, que passa toda quinta. Imortal nas idéias e nas convicções. A venerável senhora, no alto de seus 84 anos de vida e décadas de presença na palavra escrita, declara estar em paz com a própria guerra. Revelou como uma Sibila, que há três coisas em processo de extinção rápida: o índio, a árvore e o escritor. Depois recolocou uma delas, disse que a terceira coisa, na verdade, não era o escritor e sim o leitor. Onde estará o leitor?

Ao final nos deixou com esse poema de Sebastião da Gama, que a mim mais parece uma prece para as manhãs grises. Algo que eu tatuaria no antebraço para me obrigar a ler todos os dias como bálsamo para a dificuldade crônica que insurge no caminho. Que simpática é a senhora Lygia Fagundes Telles.

Pelo sonho é que vamos,



comovidos e mudos.



Chegamos? Não chegamos?



Haja ou não haja frutos,



pelo sonho é que vamos.



Basta a fé no que temos.



Basta a esperança naquilo



que talvez não teremos.



Basta que a alma demos,



com a mesma alegria,



ao que desconhecemos



e ao que é do dia a dia.



Chegamos? Não chegamos?



- Partimos. Vamos. Somos.



Sebastião da Gama - Pelo sonho é que vamos




UM POUCO DE POLÍTICA

A literatura é a maior das riquezas de uma nação.


Desigualdade Cultural é pior que Desigualdade Social. Claro que sei que uma é atrelada à outra, mas falo assim porque não é só o poder monetário que conta. Canso-me de ver, tanto e tanto, nas noites de festa que freqüento, gente de carro zero e zero na cabeça. Carteira cheia e cuca vazia. Não dá para se ter os dois? Tem coisa que não se compra mesmo. Tem de se sentar e ler. Desligar o computador, o celular, a televisão e dedicar horas ao prazer que se apaixona quando realmente descoberto. Ele existe há milênios e persiste hoje entre tantos “entretenios”.

Ano que vem faz cem anos da morte de Joaquim Maria e eu me pergunto:



“Onde estão elas, as flores de antanho?”


Kizzy Ysatis
S. Paulo, 29 de novembro de 2007

terça-feira, 27 de novembro de 2007

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

CAPA DE LIVRO


Preocupo-me com a capa tanto quanto me preocupo com a história. Acho que a história começa a ser contada pela capa. Por isso gasto horas na frente do computador, dias e meses, é um processo de evolução. A capa ganha rosto, mas com o tempo se transforma.

Também é dessa forma que escrevo. Escrevo e dou corpo ao texto. Então leio e acho que ficou lindo, mas com o tempo releio e descubro que ninguém é perfeito. É quando eu reescrevo. Eu digo a todos que escrever é a arte de reescrever. É um crescimento que passa por etapas; como a lagarta que vai da crisálida à borboleta. É um processo repetitivo que até cansa, mas cansaço nenhum supre sua satisfação ao descobrir que, enfim, soprou alma ao texto.




O LIVRO NEGRO DOS VAMPIROS

sábado, 17 de novembro de 2007



DIÁRIO DA SIBILA RUBRA

O Retorno das Bruxas
.

O Próximo Livro de Kizzy Ysatis


"Por trás de uma vila pacata se esconde um universo fantástico onde se respira magia”

.
“O ar cortante do sul era de dar dó. Mas a mãe estava conosco. Sua força era a nossa força e isso envolvia todas nós: meninas da mata brumosa das flores cheirosas do anoitecer. O fogo rugia nervoso, no entanto tínhamos o poder de controlar esse demônio; enquanto seu dourado quente cobria minhas irmãs. Sentia o perfume da lua, na maior sinestesia, imperando no espaço dum límpido azul para a glória da deusa na noite das bruxas. Só das bruxas?”

.
Amor, morte e mistério, na Ilha das Bruxas, marcam estas páginas que atravessam as primeiras décadas do séc. XX através do olhar de Elaine, que para conquistar o matriarcado deverá vencer um duelo de bruxas. Contudo, para derrotar sua inimiga mortal, a jovem Sibila precisará se aliar a um mal ainda maior: o vampiro Luar







Lançamento nacional: agosto de 2008




quarta-feira, 14 de novembro de 2007





Caro amigo Leandro
Meu amigo Frango

Você é aquele garoto com a franja loira no rosto, tocando gaita do outro lado da rua? Quando saía da casa de um colega, você nos chamou. Fez amizade. Na sua noite de estréia lá em casa, com a pipoca que fez, conquistou todo mundo. Cativou meus amigos mais próximos. Cativou a mim. Já andei com você em sua moto e já andei de moto com você. Já ficamos bêbados à luz da lua, fizemos poesias. Filosofamos. Você namorou um bocado de meninas que conheço. Seu jeito inconfundível conquistava todo mundo. A voz arrastada, o sorriso de menino sapeca na bochecha rosada, parecia anjo. De anjo não tinha nada. Ou talvez tivesse, na capacidade de alegrar com sua presença e com as asas de quem livre voa. Vai Leandro, voa! como faisão, voa livre como falcão. Águia. Vai! que um dia todos vamos também. Não tem nada aqui que você não tenha sentido ou imaginado. Vai lá, amigo. Vai agitando a festa pra gente.

Mas vê se antes descansa um pouco.

Kizzy Ysatis
14/11/07 – 15h35

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Casa das Rosas
Av. Paulista, 37 -Bela Vista

PRÓXIMO LANÇAMENTO:




O LIVRO NEGRO DOS VAMPIROS




Contos Vampirescos




Organização: CLAUDIO BRITES




LIZ MARINS "LizVamp", OCTAVIO CARIELLO "HQ - A Rainha dos Condenados" (Innovation Comics), HELENA GOMES "Lobo Alpha" (Ed. Rocco) e KIZZY YSATIS "Clube dos Imortais" (Ed. Novo Século) dão boas vindas a uma bela safra de novos escritores (literalmente selecionados) que aqui nos brindam com seu olhar e talento para o enriquecimento deste tema inesgotável. Imortal, como é próprio do vampiro.




“Vampiros são violentos, melancólicos, sensuais. São seres amaldiçoados e poderosos. Para conhecê-los é preciso, antes de tudo, ser capaz de saborear o clima de perdição em que se encontram. E então, amá-los”

(Flávia Muniz)



Quando: 16 de Dezembro de 2007

Onde: CASA DAS ROSAS - Av. Paulista, 37 -Bela Vista

Hora: 18h

ANDROSS Editora

Em O LIVRO NEGRO DOS VAMPIROS fui convidado para ser o prefaciador e colaboro com um conto intitulado: No Dobrar da Hora Morta

A capa que vocês vêem acima é a capa oficial.

Aguardo todos no lançamento.